18 setembro 2008

Azores 2008 - 9

O primeiro dia completo de Terceira foi "à hotel", ou seja, "à caracol".
Os movimentos, em amplitude e velocidade, foram reduzidos ao estritamente necessário ;-)
Com umas boas piscinas, estas sim de água doce, e com a "praia" mesmo ali à mão, resolvemos neste dia aproveitar ao máximo as "mordomias" oferecidas pelo hotel.


A subida ao "Caracol", que basicamente é um mirante com cerca de 10 m, foi um dos pontos altos do dia (um bom trocadilho este :-)
Apresenta uma paisagem magnífica e, segundo nos disseram depois, tivemos imensa sorte com a meteorologia, pois a visibilidade estava "para lá da Trapobana", o que aqui significava que se avistavam as ilhas de São Jorge e do Pico.


No entanto, de uma das mordomias mais apreciadas não há qualquer registo fotográfico.
Não há, porque a visão foi um dos sentidos por e simplesmente não utilizados.
Uma massagem tão... tão... relaxante... mas tão, tão, relaxante que... é melhor nem contar!
Fiquemo-nos então mesmo só pelas fotografias ;-)


Da parte de tarde resolvi experimentar a água do mar.
Foi o primeiro local, de muitos na Terceira, onde tive pena de não ter uns óculos com tubo de respiro (o tal conhecido pela sua designação em inglês, de snorkel).
Umas águas claras, transparentes e cheias de peixes, de todos os tipos e feitios. Nunca pensei que fosse possível, no meio de tanta gente, haver tanto peixe!

E o maior peixe lá foi, nadando, até ao "meio do mar".
Sim, aquele Y branco em cima da placa azul é moi même :-)


E um exemplo fototráfico onde umas cores incríveis e um grande motivo (eu e o çalo :), não fazem uma boa imagem.
A falta que faz um bom enquadramento...


E nada como finalizar um dia bem passado com uma boa refeição.
Desta vez a Adega estava lotada e tivemos que procurar novo poiso.
Ficamos contentes com a opção encontrada: o Elios, na rua de São Pedro.
Um restaurante menos típico que o tradicional típico (vá-se lá perceber estas afirmações :-), onde a indicação à entrada de "Restaurante - Pizzaria", a meu ver, só o prejudica.
A comida é simplesmente demasido boa para estar associada ao triste prato italiano!

2 comentários:

AJO disse...

O que tem sido muito bom é ver e ler o que neste teu cantinho tens colocado. Tenho seguido atentamente estas tuas (vossas) férias. Era para onde gostava de ter ido este ano, mas não deu. Para ano ainda há férias....

BJS para todos

James_Bond disse...

Rua de São Pedro , deve-se ao nome da Igreja que existe, quando és as São Joaninhas , os touros passam aí sem cordas , como na Espanha